Redação para o cespe: 4 dicas para se preparar!

O momento de escrever uma redação costuma deixar muitos concurseiros aflitos. Isso porque muitos sentem a necessidade de colocar tudo o que sabem sobre determinado assunto no papel, o que torna o texto cansativo em vez de claro e objetivo.

Na redação para o Cespe/UnB — Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília —, não é diferente. Nessa banca, o conhecimento é um fator determinante, pois os textos apresentados exigem que o candidato possua não só entendimento elevado da língua portuguesa, como também capacidade para interpretar enunciados.

Então, se você está pensando em fazer um concurso em que a banca é o Cespe/UnB e tem problemas com a escrita, acompanhe o nosso post. Elencamos quatro dicas para que você avance até o próximo nível e conquiste a aprovação de uma das bancas mais concorridas e respeitadas no âmbito federal de concursos públicos.

Boa leitura!

1. Atente à estrutura do texto

Durante a produção de uma redação, é preciso considerar alguns fatores estruturais, para além da gramática e do conteúdo, que são a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Entenda, a seguir, a função de cada um desses itens:

Introdução

A função da introdução é demonstrar que você compreendeu o tema proposto. Ao escreve-la, você precisará realizar uma afirmação relacionada ao tema e explicitar como você desenvolverá esse tema. Ela deve ser dividida em duas partes:

A primeira parte é denominada pelos professores como “tese” e ela se constitui em um ou dois períodos, em que é necessário:

  • dizer ao examinador qual foi o seu entendimento em relação ao tema. Para fazer isso, você precisa repetir os aspectos gerais do tema, lembrando de não ultrapassar mais do que uma linha.
  • realizar uma afirmação que diz respeito ao tema. Para fazer isso, você precisará se posicionar acerca do tema ou discorrer sobre a sua importância. Isso também não pode tomar mais que uma linha. 

A segunda parte pode ter entre um e quatro períodos e serve para explicar ao examinador como você desenvolverá seu tema ao longo da redação. Essa parte é utilizada como uma introdução para os parágrafos que correspondem ao desenvolvimento do texto. 

Assim, para fazê-la, basta que você explique de maneira clara e concisa tudo de que falará em até três linhas. 

Desenvolvimento

No momento em que for desenvolver o seu texto, você deve detalhar o que foi dito na introdução. Confira três regras fundamentais para fazer um bom desenvolvimento:

  • Cumpra o que foi prometido: Ao escrever a introdução, você descreveu o que iria falar ao longo do texto. Por isso, você deve retomar o conteúdo citado, descrevendo-o de acordo com a ordem de aparição.
  • Não escreva além do que foi prometido: É comum que alguns concurseiros escrevam sobre mais pontos do que os que disse que iria abordar. Não faça isso, lembre-se que você deve ser objetivo.
  • Obedeça ao princípio da igualdade entre os parágrafos: Embora não haja a necessidade de que todos os parágrafos contenham o mesmo número de linhas, é importante não fazer parágrafos curtos e outros muito longos. Essa discrepância pode tornar seu texto incompleto, já que você pode não conseguir dar todas as informações prometidas devido ao espaço limitado de 30 linhas.

Dessa forma, é imprescindível que você tenha atenção redobrada durante a confecção do seu desenvolvimento. Não se esqueça de que ele equivale a aproximadamente 60% da sua nota.

Conclusão

A conclusão deve ser feita em dois períodos. Nela, você retomará tudo que foi dito, inclusive a sua tese, e concluirá sua linha de pensamento. Assim, é importante que você reafirme sua introdução e relembre o que foi expresso no desenvolvimento antes de expor as considerações finais do seu texto.

2. Crie um roteiro de escrita 

Criar um roteiro de escrita é uma ótima maneira de sistematizar o que deve ser dito na redação. Isso auxilia o candidato a ter clareza e objetividade durante o exercício da escrita, o que é fundamental para que não ocorra fuga do tema.

Veja um exemplo de como isso pode ser feito:

Considere que a prova discursiva trouxe o tema: Os princípios inerentes à administração pública (Artigo 37 da CRFB/88) e que instruiu o candidato:

  • A nominar (ou seja, citar) os princípios constitucionais da administração pública;
  • a descrever o significado dos deferidos princípios, em seguida.

Para cumprir o que foi pedido, você deverá separar um parágrafo do texto para citar os 5 princípios da administração pública. Confira o exemplo:

Os princípios inerentes à administração pública estão consubstanciados no artigo 37, “caput” da Constituição da República Federativa do Brasil (CRFB/88). Essa norma prevê, expressamente, os seguintes princípios: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Após nominar, você usará um segundo parágrafo para definir de forma sucinta o que significa cada um desses princípios. Acompanhe o exemplo:

  • O primeiro princípio da legalidade dispõe que (definição);
  • Já o princípio da impessoalidade determina que (definição);
  • Ainda quanto aos princípios constitucionais, há o da moralidade, no qual (definição);
  • Além desses três princípios, tem-se o da publicidade, que determina que (definição);
  • Por fim, tem se o princípio da eficiência, que (definição).

Assim, você será objetivo e claro, o que demonstrará ao examinador que você possui o conhecimento necessário sobre o tema.

3. Considere os critérios de correção da redação para o Cespe

Para atingir a excelência na prova discursiva, você precisará considerar os critérios de correção do Cespe. Você sabe quais são eles? Acompanhe:

Os critérios de avaliação da prova são divididos em aspectos macroestruturais e microestruturais.

Os macroestruturais correspondem à apresentação textual, à estrutura textual e ao desenvolvimento do tema. Nesse aspecto, são avaliados os seguintes itens:

  • a legibilidade;
  • o respeito às margens;
  • a indicação de parágrafos.
  • a organização de ideias;
  • a estruturação do texto;
  • a organização das ideias.

Em contrapartida, os microestruturais concentram-se na sintaxe, ou seja, na forma como a redação é escrita. A avaliação desse aspecto inclui os seguintes itens:

  • a grafia;
  • a acentuação;
  • a morfossintaxe;
  • a propriedade vocabular.

Atendendo a todos os itens, você estará ainda mais perto da sua tão sonhada aprovação. Portanto, não se esqueça de verificar se atendeu a todos os requisitos durante o treino da escrita, certo? 

4. Faça um curso preparatório de redação para o Cespe

É comum que muitas pessoas não consigam estudar para redação sem o apoio de um professor. Isso acontece porque o aluno costuma se sentir perdido ao estudar algo que não domina. Se esse é o seu caso, saiba que fazer um curso de redação pode ser uma ótima ideia.

Existem inúmeras vantagens em estudar com profissionais qualificados. Dentre elas, podemos destacar:

  • a melhora na leitura e interpretação de texto;
  • o desenvolvimento argumentativo;
  • a construção de um repertório;
  • a confiança para realizar a prova.

Além disso, é inegável que os candidatos que se preparam com o apoio de um profissional capacitado possuem mais chances de alcançar a nota máxima na prova quando comparados aos que estudaram sozinhos.

Por isso, investir em um curso de redação é a melhor saída para quem deseja conquistar a aprovação e não possui a habilidade da escrita. 

Agora que você já conhece todas essas dicas a respeito da redação para o Cespe/UnB, que tal entrar em contato com a gente e descobrir novas formas de se preparar para esse certame? Aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.