Concurso Federal, Municipal ou Estadual: como e qual escolher?

Alcançar a estabilidade financeira e ter acesso a horários flexíveis são bons motivos para se inscrever em alguns concursos públicos, mas qual escolher? Você sabe dizer a diferença entre concurso federal, estadual ou municipal?

Trabalhar no 1º setor pode proporcionar inúmeras vantagens para a carreira de qualquer profissional, afinal, o aprendizado adquirido na área pública enriquece o currículo. Só que para chegar em um posto assim é necessário se preparar — e muito!

Para conquistar a tão sonhada aprovação é preciso ter atenção a vários fatores, dentre eles está o tipo de concurso que quer. Sendo assim, preparamos um guia recheado de informações para que você tome a decisão mais coerente. Confira!

O que é um concurso público?

Normalmente, as pessoas ouvem falar bastante sobre concursos, mas nunca analisaram a sua finalidade e importância para o país. O concurso público tem como propósito fazer a avaliação de candidatos que estão pleiteando um cargo que contribui para o bem-estar social.

Embora seja organizado por empresas especializadas nesse segmento, a responsabilidade da avaliação dos candidatos cabe às áreas de Recursos Humanos designadas pelas instituições.

É importante ressaltar que os concursos são peças-chave no andamento de várias funções no Brasil e impedem que os políticos exerçam sua influência para nomear parentes, amigos e conhecidos aos cargos públicos, algo que fere o princípio da isonomia.

Quando eles começaram no Brasil?

Antes de você enxergar quais são as dificuldades de ser um concurseiro, vale informar a forma como o concurso público surgiu no nosso país. Provavelmente, você deve ter aprendido nas aulas de História que em 1934, depois da ascensão de Getúlio Vargas ao poder, foi promulgada uma nova Constituição no Brasil.

Isso promoveu um marco na política nacional, pois a partir de 1934 tivemos a configuração dos três poderes, um sistema eleitoral com voto secreto, a liberdade das mulheres votarem, o estabelecimento das leis trabalhistas e, também, o início dos concursos públicos.

No entanto, só no ano de 1967 é que os concursos foram colocados no cenário brasileiro como obrigatórios para o ingresso das pessoas em cargos públicos, exceto aqueles que são tidos como setores de confiança.

O precursor de certames desse tipo é o Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários (IAPI). A prova foi realizada no segundo semestre de 1937 e contou com a participação de 5 mil candidatos que ansiavam pelos cargos administrativos da instituição.

Como funciona um concurso público?

A princípio, o processo de abertura de um certame acontece quando a falta de funcionários nos órgãos públicos está impactando o transcorrer dos serviços exercidos. Talvez você não saiba, mas as aposentadorias são frequentes no 1º setor e isso sempre gera um deficit de pessoas para cumprir as tarefas incumbidas.

São feitos estudos minuciosos para compreender quais são as áreas mais carentes de funcionários e, quando são identificadas as vagas necessárias, protocola-se o pedido junto ao Ministério do Planejamento no caso de órgãos federais. Para os estados e municípios, a autorização é dada pelas secretarias de planejamento.

Após sair o aval para instaurar o processo seletivo, a confirmação do concurso é publicada no Diário Oficial da União e nos veículos de mídia. Em seguida, é feita a minuta do edital — documento cujo objetivo é dar início à licitação de qual banca organizará as provas.

O momento da escolha da organizadora é uma etapa fundamental para aproveitar melhor o tempo de estudos, pois cada empresa tem suas particularidades. A seguir, veja quais são as principais bancas do país.

Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (CESPE/UNB)

É bem provável que seja a organizadora que provoque mais receio entre os candidatos, pois as questões costumam ser complexas, com enunciados longos e cansativos. Evite ao máximo chutar, visto que cada erro elimina um acerto e isso pode prejudicar a sua pontuação final.

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Costuma ter provas mais objetivas, principalmente entre as disciplinas de Português e Direito, pois a FCC é, geralmente, escolhida para aplicar exames do Poder Judiciário. Deve-se ter uma boa interpretação dos textos, dissertação afiada e conhecimento literal das leis.

Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Além de ter a missão de planejar a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), quando se trata de concursos, a FGV não tem um padrão preestabelecido e isso pode confundir os estudantes. Os textos são longos e as questões apresentam multidisciplinaridade envolvendo textos de lei.

Centro de Seleção de Candidatos ao Ensino Superior do Grande Rio (Cesgranrio)

Você vai observar que o nível de cobrança dessa banca é médio, entretanto ela costuma ser metódica quanto à apresentação das perguntas, dividindo-as em blocos específicos de cada matéria. A interpretação de imagens e gráficos também conta bastante para a aprovação.

Escola de Administração Fazendária (Esaf)

Tende a ser uma das bancas que mais recebe recursos para anulação de questões, pois há divergências na interpretação dos enunciados. O grau de dificuldade de uma prova organizada pela Esaf é de médio para alto, porém não tem o hábito de cobrar todos os itens do edital.

Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (VUNESP)

É simplesmente a banca que está na organização do certame do Tribunal de Justiça de São Paulo, um dos principais concursos em 2018. Pesa a mão em gramática e no conhecimento das leis, mas, em geral, tende a ser mais tranquila do que as outras.

Definida a organizadora, o edital é elaborado e divulgado para o público, e nessa hora é de suma importância ler atentamente todas as informações. Verifique qual é a taxa de inscrição, as especificações do concurso e as disciplinas que deve estudar.

Qual a diferença entre concurso federal, estadual ou municipal?

Primeiramente, para que haja um entendimento mais claro sobre as diferenças entre os três tipos de concursos, saiba que embora todos sejam oferecidos pelo governo federal, cada um deles é regido por leis específicas. No caso dos concursos federais, há a possibilidade do aprovado ter facilidades de transferência entre estados, por exemplo.

Uma vantagem interessante da esfera federal é que são concursos abrangentes em termos de bancas organizadoras e isso facilita para que os concurseiros de sucesso possam se preparar com mais eficiência.

Todavia, muitos candidatos acreditam que os certames federais são melhores porque pagam mais, porém, isso é subjetivo. Tudo vai depender do cargo escolhido, o nível de escolaridade exigido, o tempo de serviço no mesmo posto e demais fatores.

Entre os principais concursos federais que estão com inscrições abertas ou próximas, temos os da Força Aérea Brasileira, Marinha do Brasil, Petrobras e do Superior Tribunal de Justiça. Em análise pelo Ministério do Planejamento estão os concursos da Advocacia-Geral da União (AGU), Ibama, Receita Federal, Banco Central etc.

As vagas estaduais podem ser tão atraentes ou mais do que as federais e as provas são consideradas de um nível médio de concorrência. Entretanto, saiba que não há controle sobre o local de atuação, já que isso dependerá muito da lacuna que existe em cada órgão estadual.

Alguns decretos e legislações são diferentes em cada estado, por isso, é importante aproveitar ao máximo o edital e ficar de olho nessas situações. Confira algumas das oportunidades de concursos que estão abertos no Sudeste.

  • Metrô de São Paulo;
  • Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo;
  • Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo;
  • Ministério Público do Rio de Janeiro;
  • Polícia Civil de Minas Gerais;
  • Companhia de Saneamento de Minas Gerais;

Já os concursos municipais são bem diferentes dos demais, porque a concorrência é inferior e os candidatos têm a noção exata da região onde vão trabalhar.

Ainda que os municípios estejam sob jurisdição estadual, existem leis específicas para os concursos em cada cidade, definindo a organização, aproveitamento de vagas etc.

Como a demanda de inscritos é menor do que dos outros concursos, a prova tende a ser menos complexa. Além disso são poucas as opções de aprendizados preparatórios, seja no modo presencial, seja por meio de cursos online.

No entanto, a estabilidade dentro de um cargo é até maior do que em outros tipos de concursos, principalmente em cidades com poucos habitantes e que as funções exigidas não sejam tão complexas. A procura, normalmente, é para vagas no transporte público, saúde, educação e áreas administrativas nas prefeituras.

Quais são os tipos de provas?

Um concurso público pode ser dividido em várias fases de provas, só que isso dependerá do que a instituição selecionadora julgar ser necessário. Alguns certames contam apenas com questões objetivas, porém outros dispõem de provas discursivas, exames físicos e, até mesmo, orais.

Na modalidade de provas objetivas temos duas opções distintas entre si: formato de certo ou errado e de múltipla escolha. A primeira, inclusive, é o terror de muitos candidatos, pois costumam perder pontos por questões erradas.

Se você não mantiver a regularidade nos estudos e precisar chutar nas questões, opte por fazer isso nas provas de múltipla escolha, afinal, não é recomendado deixar o gabarito em branco. Arriscar o chute nos exames de certo ou errado pode custar pontos preciosos.

Quando se trata de provas discursivas, aí os candidatos precisam escrever sobre o tema proposto e a avaliação mede a capacidade de se expressar na linguagem escrita, além, é claro, do domínio da norma culta. O tipo de texto exigido na redação em concurso público vem descrito no edital ou até mesmo na própria prova.

A avaliação psicológica tem um poder eliminatório, porque consiste em aplicar técnicas que testam a concentração, raciocínio lógico, memória, controle emocional e demais características que interfiram nas funções dos cargos. Exames de capacidade física também podem eliminar os participantes.

Nos casos de concursos jurídicos e da Polícia Civil de São Paulo é possível ter provas orais, em que uma banca contendo dois a quatro professores sabatinam os candidatos com perguntas previamente definidas. A prova de títulos pode ocorrer também, mas essa não tem caráter eliminatório, e sim para atestar a formação dos aprovados.

Quais são os processos existentes nesses concursos?

Antes de pensar em qual tipo de concurso deseja prestar é necessário ter o conhecimento de suas etapas até a convocação de posse. Os inscritos que cumpriram todas as exigências descritas nos editais ficam aptos para fazer as avaliações.

Chega a parte das provas e, assim como foi mencionado, o bom preparo — físico e mental — é imprescindível para responder as alternativas. Após o processo de validação do concurso junto ao órgão público contratante, são selecionados os concorrentes que obtiveram melhor pontuação para ocupar as vagas disponíveis.

Se por um acaso o seu nome não consta dentro do número de vagas, não há necessidade de desespero, pois ainda tem a opção das vagas excedentes. Os nomes dos aprovados são publicados no Diário Oficial da União. Portanto, atente-se a esse detalhe!

Assim que a pessoa é aprovada, dentro do limite disponível de vagas, a convocação tem que ocorrer imediatamente pela administração pública até a data de validade do concurso. Depois da nomeação, os aprovados devem realizar todos os exames solicitados e apresentar os documentos fundamentais para assumir o cargo.

Como escolher o concurso ideal?

Tomar uma decisão como essa envolve milhares de fatores que só você pode realmente resolver. Por isso, antes de criar uma rotina de estudos, é importante saber o que você quer. A seguir, confira algumas dicas para facilitar a sua escolha.

Planeje o seu futuro

Adentrar à carreira pública é um caminho que deve ser pensado minuciosamente, pois há diferenças para uma empresa privada. Imagine-se daqui a cinco ou dez anos e como a área escolhida pode lhe proporcionar o conhecimento que precisava.

É fundamental traçar as perspectivas acerca do cargo que almeja, tais como se o salário será suficiente para o seu padrão de vida, quais realizações profissionais e pessoais conseguirá pôr em prática, questões familiares e assim por diante.

O futuro pode até ser incerto, mas, quando há uma estratégia bem desenvolvida, a tendência é que tenhamos menos obstáculos para desviar na trajetória. Entenda que o concurso é apenas uma das etapas que percorrerá na vida.

Escolha a esfera de concurso que pretende prestar

Tendo o conhecimento das vantagens e desvantagens das opções federais, estaduais e municipais é preciso colocar na balança o que será melhor para a sua carreira. Suas ambições devem ser levadas em consideração e como essa escolha impactará o seu cotidiano.

A partir do momento que decidiu ingressar na carreira pública, identifique os pontos principais de cada tipo de concurso e pondere o que pode propiciar o bem-estar que espera. Se você tem planos de ter uma aposentadoria integral, um concurso federal pode ser a escolha mais coerente.

Caso não queira correr o risco de trabalhar no interior do estado onde mora, opte por concursos municipais para evitar possíveis transferências. Lembre-se que a remuneração vai depender de inúmeras condições, portanto, não se prenda só a isso.

Pesquise qual área de atuação é melhor

Entenda-se como “melhor área de atuação” aquela com a qual você se identifica mais, afinal, o que é bom para uma pessoa não necessariamente será para outra. Em matéria de concursos públicos, tenha em mente que essa escolha é imprescindível para começar a estudar.

A área Administrativa, por exemplo, trará noções fundamentais para planejar, organizar, dirigir e controlar as mais variadas situações no serviço público. Escolhendo o setor Bancário você tem a oportunidade de conciliar estudos e trabalho, e, além das vagas serem numerosas, existem vários benefícios oferecidos pelos bancos.

No segmento jurídico e de tribunais você conseguirá ter um entendimento mais abrangente das várias leis que regem o nosso país, além da experiência que muitos alunos de Direito ainda anseiam. Pesquise a fundo cada opção e saiba quais são as funções exercidas em cada cargo, pois isso facilitará a sua decisão.

Converse com pessoas que já passaram por isso

O compartilhamento de experiências é uma forma fantástica de saber se está no caminho certo para uma carreira na vida pública. Afinal, as pessoas que trabalham com isso são as certas para apontar o que precisa para superar o medo da prova.

Se você conhece alguém que já conquistou a aprovação em um concurso público, inspire-se nas táticas que essa pessoa usou para conseguir se dar bem nas provas. Além disso, veja como é a qualidade de vida dessa pessoa e o quanto as funções que exerce influenciaram-na positivamente.

Esse contato é fundamental para discernir quais são os atalhos que podem seguir e as exigências inerentes a cada área. Quando você tem conhecimento do clima organizacional que impera no lugar almejado, a escolha é uma questão de tempo.

Confira os requisitos de cada concurso

É extremamente importante analisar bem o edital de uma prova, pois lá você obterá as informações necessárias para traçar o seu planejamento. Até antes mesmo da publicação do edital você já deve se preparar e jamais deixar de estudar.

Veja qual é o nível de escolaridade solicitado para cada vaga. Obviamente, os cargos que precisam do ensino superior têm uma remuneração bem melhor. Diplomas de pós-graduação, mestrado e doutorado podem contar muitos pontos em uma possível prova de títulos, por exemplo.

Leia também sobre as disciplinas especificadas, porque assim poderá controlar seus horários de estudos de forma mais eficiente, sabendo quais matérias precisará focar. Ademais, não se esqueça de verificar quais são os documentos solicitados para identificar-se antes da prova.

Existem concursos mais fáceis de passar?

Talvez você não saiba ainda, mas existem alguns segredos quando se trata de concursos públicos e só aqueles que já contam com uma vasta bagagem compreendem como ter essas informações ajudam no processo. Manter a concentração na vaga que deseja fica bem melhor quando sabemos as reais possibilidades, não é mesmo?

Vamos esclarecer alguns dos concursos mais tranquilos para prestar e que podem servir como alavanca para a sua aprovação, mas não se esqueça que isso vai depender muito do seu esforço e comprometimento. Veja os 4 mais fáceis.

Concursos menos visados

Parece uma afirmação meio óbvia, só que muitos estudantes não param e analisam que os concursos menos noticiados podem ser o caminho para trabalhar na vida pública. Existem certames que não são tão divulgados pela mídia e, naturalmente, o número de inscrições é inferior aos outros.

Pesquise bastante sobre esses concursos e informe-se sobre aqueles que estão em tramitação no Ministério do Planejamento, pois pode lhe dar uma boa vantagem diante dos demais. Abaixo, temos alguns exemplos de órgãos públicos com menor visibilidade:

  • Agência Nacional do Cinema (ANCINE);
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL);
  • Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB);
  • Defensoria Pública da União (DPU);
  • Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

Cargos com formação superior

De acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, apenas 14% da população brasileira relata ter ensino superior. Sendo assim, podemos concluir que a concorrência é bem menor nessa faixa do que em cargos que exigem apenas ensino médio, não é verdade?

Inclusive, pessoas que têm uma graduação acabam prestando concursos publicos em vagas de ensino médio, pois acham que terão maiores chances. Se você tem a formação acadêmica com nível superior, invista em provas que abrangem cargos com esse requisito e verá que a probabilidade de conquistar uma vaga tende a ser maior.

Certames da esfera municipal

Toda vez que anunciam um concurso público, uma boa leva de pessoas já vai correndo ver as vagas dos certames federais e estaduais por julgarem que são melhores. No entanto, essa decisão nem sempre é real e até explicamos acima que pode ser bem subjetiva.

Vários municípios dispõem de concursos com ótima remuneração e a concorrência é menor, principalmente em cidades em que o custo de vida é inferior com relação às capitais. Outras vantagens de escolher a esfera municipal são a taxa de inscrição mais barata e a qualidade de vida proporcionada pela tranquilidade de algumas regiões.

 Aqueles que oferecem poucas vagas

Uma das reações naturais do ser humano é pensar que se uma oportunidade de emprego oferece poucas vagas, a dificuldade é maior. Porém há um ledo engano nisso, e essa perspectiva dos demais candidatos você deve se aproveitar.

Tenha a consciência que você só precisa de uma vaga e nada além disso para conseguir os seus objetivos. Enquanto os outros ficam assustados com a possibilidade de não se classificarem, encare esse desafio como a chance de entrar na carreira pública.

Algo que também ajuda na hora de escolher entre um concurso federal, estadual e municipal é identificar o seu perfil de estudo para ter uma noção dos métodos que usará a fim de compreender as matérias.

Qual a importância preparação para o concurso público?

Após identificar o tipo de concurso que quer prestar, é preciso arregaçar as mangas para transformar o sonho em realidade e ter uma vida estável e tranquila. Você deve realizar um planejamento direcionado para a sua aprovação, que envolve conhecer a área de atuação do cargo pretendido, afinal, isso é primordial para iniciar um programa de estudo voltado para a prova.

Depois de inscrito, estude o programa do concurso, trace estratégias e se dedique a um estudo continuo, que é essencial para o sucesso no certame, evitando sacrifícios excessivos, pois, sem saúde física e mental fica difícil de absorver qualquer aprendizado.

Como se preparar para o concurso escolhido?

Para conquistar uma boa nota, algumas medidas devem ser adotadas durante o período de estudos. Vejas as dicas que preparamos para você.

Não espere pelo edital

Comece a estudar para concursos públicos antes mesmo do edital ser publicado, tendo em vista que o tempo entre a publicação do edital e o dia de aplicação da prova é muito curto. Isso porque as matérias são muitas e vários concorrentes já estudarão.

Se preparar com antecedência vai lhe deixar pronto para quando a oportunidade aparecer.

Seja organizado

Organize sua rotina de forma que sobre tempo para estudar. Você pode fazer um quadro de horário que vai ajudar muito. Inicie pelas matérias básicas e vai alternando o tempo de cada uma até estudar todas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.