Técnico judiciário: tire suas dúvidas sobre a área

Se preparar para um concurso público vai muito além de conquistar uma aprovação ou almejar altos salários, e sim traçar um plano de carreira que pode ser promissor.

e todos que prestam as provas, podemos considerar que poucos estão verdadeiramente preparados e, dentre os principais concursos que terão este ano, o de Técnico Judiciário é o mais concorrido, mas você sabe o por quê?

Pensando nisso, preparamos um miniguia sobre o assunto, para que você possa chegar no dia da prova tendo certeza que escolheu a carreira certa. Acompanhe a leitura e confira!

O que faz um Técnico Judiciário?

Se você pretende direcionar o seu programa de estudos para essa profissão, saiba que está tomando uma decisão importante e bem promissora na vida. O cargo de Técnico Judiciário proporciona atuar em diversas áreas.

A formação mínima necessária é o ensino médio completo, entretanto, dependendo de qual órgão público você tentar a vaga, é possível que peçam outros cursos específicos como Administração, Enfermagem, Tecnologia da Informação etc.

É uma profissão que tem como propósito dar apoio às áreas do Poder Judiciário, sendo assim, você pode atuar tanto em fóruns como também em tribunais. Inclusive, os mais recorrentes em abrir editais são:

Alguns certames já disponibilizaram suas inscrições, sendo que nas regiões Sul e Sudeste, por exemplo, os concurseiros estão de olho nas provas do TJ, TRE e TRT do Paraná, o TRE de São Paulo e o TRF da 2ª região para Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Como é a rotina de trabalho e quanto ganha?

Para aquelas pessoas que querem conciliar os estudos com o trabalho, a profissão é ótima por conta da carga horária flexível e os recessos durante o ano. O cotidiano de alguém que opta por essa área é agitado, mas a estabilidade financeira e o conhecimento adquirido compensam o esforço.

De acordo com as Leis 11.416/2006 e 13.317/2016, a carreira de Técnico Judiciário é disposta em três classes (A, B e C) distribuídas em 13 padrões. A cada ano, o servidor sobe para um padrão e assume as competências inerentes àquele posto.

Basicamente, as funções exercidas são de dar apoio especializado às áreas jurídicas e administrativas, portanto, é uma profissão primordial para o bom andamento do Poder Judiciário. Sua rotina de trabalho será digitar documentos, elaborar pareceres, relatórios, executar serviços de expediente, entre outras atividades incumbidas.

No caso do TRT, por exemplo, quando existe uma reclamação trabalhista é necessário dar andamento a vários atos processuais até que haja a decisão do juiz, tais como:

  • autuação;
  • audiência;
  • citação;
  • notificações;
  • expedição de certidões.

O salário varia conforme o órgão público que for trabalhar e a região, mas, em geral, inicia-se com valores acima de 4 mil reais por mês. Devido a essa relatividade no recebimento, torna-se importante verificar os editais dos concursos públicos para ter uma noção melhor antes de prestar a prova.

Outro fator primordial e que pode acontecer com uma certa frequência entre os Técnicos é o atendimento ao público, ou seja, é preciso ter jogo de cintura, paciência e saber lidar com as mais variadas situações que aparecerem.

O que deve estudar nas provas?

Cada banca organizadora dispõe de suas regras para as disciplinas cobradas e quais serão os formatos das provas, no entanto, podemos dizer que algumas matérias aparecem com certa frequência em vários certames.

Por isso, dentro do seu planejamento de estudo é fundamental que tenha espaço para focar em questões de Português, noções de Direto (Civil, Processual, Constitucional e Penal), Raciocínio lógico e Informática. Leia atentamente os editais para saber o que pode cair nas provas.

Quando a Fundação Carlos Chagas (FCC) organiza algum concurso público na área jurídica, por exemplo, costuma-se cobrar dos candidatos um bom conhecimento de interpretação de textos, verbos, regra de três, conhecimento literal das leis etc.

Atente-se para as “pegadinhas”, pois a FCC tende a induzir ao erro em suas alternativas, mudando alguns trechos que estão descritos nas leis. Ter noções do ponto de vista prático de ferramentas como Word, Excel, sistemas de bancos de dados e segurança também são essenciais.

Quais dicas de estudo são peças-chave para passar?

Ao fazer a inscrição em um concurso para a área jurídica, você precisa ter em mente que o seu preparo vai levar um certo tempo e não pode descuidar dos estudos. Sendo assim, listamos 5 dicas que você precisa colocar em prática:

1. Leia constantemente

Quem trabalha como Técnico Judiciário deve ter o hábito da leitura, pois será fundamental no desempenho de suas funções. Na prova, isso lhe ajudará a interpretar melhor os enunciados, desempenhar um bom papel nas redações e não perder pontos preciosos em perguntas de atualidades.

2. Elabore um cronograma de estudos

A organização faz a diferença na hora de se preparar para concursos tão concorridos quanto os da área jurídica, logo, você deve estruturar a sua rotina de estudo para compreender cada matéria da melhor maneira possível. Dedique um tempo em cada disciplina e jamais esqueça que as pausas são importantes para assimilar o conteúdo.

3. Foque suas atenções em materiais específicos

Embora não seja prejudicial você ler diversas apostilas e assistir aulas online que existem por aí, concentre-se em materiais específicos para os concursos que prestará. Isso ajuda a ter um direcionamento melhor e aumenta a sua probabilidade de se dar bem nas questões das bancas mais temidas.

4. Conheça a banca organizadora

Essa é uma dica matadora que qualquer concurseiro de sucesso precisa ter como regra, pois conhecer os métodos de cada banca organizadora ajuda a perder menos tempo nas provas. A banca CESPE/UNB, por exemplo, tem a fama de ser uma das mais difíceis, porque, na maioria das vezes, cada erro elimina um acerto.

5. Faça cursos preparatórios

Essa estratégia é importante para que se construa um know-how e consiga, ao longo do tempo, ter ótimas noções sobre a área jurídica. Preste atenção nas recomendações dos professores e anote os pontos principais de cada matéria explicada.

Em resumo, para se tornar Técnico Judiciário você deve se orientar pelos editais dos concursos, ler bastante, compreender questões inerentes à rotina da profissão e ter um bom planejamento.

Gostou das informações passadas neste artigo sobre a área jurídica? Pretende prestar algum concurso este ano? Então, deixe seu comentário no post para sabermos das suas expectativas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.