Melhores práticas: como fazer uma boa redação no ENEM

Talvez você já tenha conhecido alguém que conseguiu alcançar a nota 1000 na redação Enem. Ao mesmo tempo, você deve ter pensado que isso é algo muito difícil ou, até mesmo, impossível, não é mesmo? Pois saiba que não é verdade! 

De fato, é muito incomum que os candidatos tirem a nota máxima na redação. Contudo, adotando algumas estratégias ao longo de sua preparação e fazendo a prova com concentração, isso se torna mais fácil do que você imagina. E, com certeza, esse será um ótimo diferencial na aprovação em algumas universidades.

Portanto, para você chegar lá, resolvemos ajudá-lo listando algumas dicas de como fazer uma boa redação no Enem. Quer saber quais são elas? Então, vem com a gente e confira! 

Entenda que aprender é um processo

Se você quer melhorar a sua escrita, a principal sugestão é: tenha paciência. Assim como na matemática, no português ou nas ciências da natureza, todo aprendizado é um processo — e na produção de textos isso não é diferente. Portanto, não pense que você fará uma redação perfeita de um dia para o outro.

É preciso, antes de mais nada, estudar e entender toda a teoria, o que envolve aprofundar nas variadas tipologias textuais, analisando as características de cada uma delas. Depois, você poderá focar no tipo de texto que deverá escrever na hora da prova.

Conheça o formato da redação

Para saber como escrever uma redação conforme o exame exige, você deve conhecer a fundo o seu formato. Isso se deve ao fato de que o tipo de texto a ser escrito tem características específicas que devem ser observadas.

Em primeiro lugar, tenha em mente que a redação deve ser feita em forma de uma dissertação-argumentativa. Nela, é necessário estabelecer uma tese inicial e desenvolvê-la com argumentos plausíveis. Então, não basta apresentar dados ou informações, o aluno deve tomar uma posição e defendê-la.

No entanto, expressar um ponto de vista é muito diferente de opinar, e por isso, esse tipo de texto não admite a escrita na primeira pessoa. Nesse sentido, expressões como “eu considero que”, “defendemos”, “pensamos” etc. devem ser evitadas. Escreva sempre de forma impessoal, trocando aquelas construções por “considera-se que”, “defende-se” e “pensa-se”, por exemplo.

Ao final do texto, é necessário que o redator apresente uma solução ao problema, e mais do que isso, ele deve demonstrar como a saída para aquela questão poderia ser implementada. Afinal, a intenção é analisar o estudante como um cidadão capaz de identificar obstáculos, de raciocinar sobre eles, de organizar suas ideias e de propor meios de superar as dificuldades sociais.

Treine bastante

Da mesma forma que um atleta só consegue melhorar sua performance se treinar todos os dias ou com alguma regularidade, na elaboração de redações também é assim. Pode parecer clichê, mas trata-se daquele bom e velho ditado: “a prática leva à perfeição”.

Nesse sentido, para saber como está a sua escrita, é necessário praticar. Escreva muitos textos dissertativo-argumentativos de até 30 linhas. Depois, peça a um professor ou uma pessoa que entenda do assunto para corrigir e apontar seus erros, bem como no que você precisa melhorar.

E não se esqueça de revisar o que errou. Para isso, analise a correção junto com quem a fez, pois, assim, você conseguirá entender o seu equívoco e evitar que ele se repita nas próximas redações.

Mantenha-se informado e atualizado

De nada adianta saber a estrutura e o formato da redação a ser feita, se ela não tiver conteúdo, concorda? Por isso, é fundamental que o aluno se mantenha sempre informado e atualizado sobre assuntos cotidianos. Vale lembrar que os temas exigidos nas provas têm muita relação com acontecimentos recentes no Brasil e no mundo.

Para isso, a leitura de jornais e revistas, físicos ou em formato virtual é bastante útil. Essa estratégia permite que você forme uma rica base de conhecimento para desenvolver uma boa argumentação. Ela também permite conhecer outros pontos de vista e ter contato com diferentes formas de escrita.

Se necessário compre um pacote com temas atualizados preparado por um professor. Existem vários no mercado, um que analisamos é o da Professora Flávia Rita com 20 temas desenvolvidos por ela e ainda mais uns 100 extras. Neste link você encontra mais detalhes.

Fique atento às instruções

Durante a preparação para o exame, pesquise sobre o que pode e o que não pode escrever na redação. Também é muito importante entender como ela será avaliada, e para isso você pode procurar por materiais de preparação. O Guia de Redação do Enem, elaborado e lançado pelo MEC todos os anos, poderá ser muito útil para entender o que os avaliadores esperam do redator.

No dia da prova, não comece a escrever desde logo. Leia, antes, todas as instruções e os textos-base que forem oferecidos, e lembre-se de que eles têm a função de delimitar a discussão.

Depois, faça um esboço dos argumentos que você conseguir reunir sobre o assunto apresentado e, com eles em mente, elabore um roteiro, definindo o que será escrito na introdução, nos parágrafos intermediários e na conclusão do seu texto. Assim, você conseguirá visualizar melhor a estrutura e evitará erros e rasuras na versão final.

Evite anulações

Conhecer as regras da redação do Enem é fundamental não só para saber como escrever, mas também para fazê-lo evitando anulações. Então, você deve ter em mente que o formato textual deve ser o dissertativo-argumentativo, como visto, ou sua redação poderá ser anulada.

Preste atenção nos textos de apoio, pois eles indicarão o assunto a ser tratado, assim como os limites de abordagem e aprofundamento. Contudo, não os copie, pois, nesse caso, os trechos plagiados serão descontados. Além disso, respeite os valores humanos e a diversidade sociocultural. Isso significa não reafirmar preconceitos e discriminações, e também não se devem subjugar crenças, costumes e ideologias.

Quanto à estrutura e estética do texto, esse deve ter mais de sete linhas, ou será considerado insuficiente e passível de nota zero. Outra determinação diz respeito a desenhos, símbolos ou outras formas, que podem ser entendidos como meios de identificação e, por isso, serão motivos de anulação de todo o texto.

Se antes você achava que tirar nota máxima na redação do Enem era uma tarefa impossível, deve ter percebido que não é bem assim. Como visto, o segredo para se dar bem é a preparação, pois o seu desempenho nada mais é do que reflexo do seu esforço.

E aí, está esperando o que para colocar em prática todas essas dicas de como fazer uma boa redação no Enem? Com certeza, elas ajudarão você a aprimorar a escrita e serão muito úteis na realização do seu sonho de entrar para uma universidade.

Se você gostou dessas informações e quer ter acesso a outras, assine a nossa newsletter e receba-as diretamente na sua caixa de entrada!